22/09/2020

Que assanhado!


Pula o canguru de Cangurópolis. 
Pula o canguru de Itu. 
Pula o canguru de Lixópolis. 
Pula, pula em Honolulu. 

Tanto salta-e-pula 
até que não me amola. 
Apenas diga, por favor, 
se não há mola 
debaixo desta sola 
dos pés, canguru.

O Pássaro das Sombras


17/09/2020

Mingauuu...

 

À noite, alguns gatos são pardos. 
Outros, bem tapados, coitados. 

Chaninho, de sete vidas, 
perdeu uma de bobeira, 
escorregou na soleira, 
bateu a cuca no batente, 
quebrou uma costela e um dente. 

E saiu repetindo: 
“Leite quente, leite quente, leite quente...”.

O Pássaro das Sombras

13/09/2020

Não lava o pé

 

O bacurau se mudou 
na calada da noite 
para um buriti, 
bem longe dali, 
do outro lado do igarapé, 
porque não aguentava mais o sapo 
e seu cheirinho de chulé.

O Pássaro das Sombras


E lembre-se: pássaro não foi feito para viver em gaiola. Deixe os bichos livres na natureza!

01/09/2020

Nem pisca


A coruja se entrega: 
de olhões arregalados, 
cheios de remela, 
adora uma novela.

O Pássaro das Sombras