01/08/2020

Saudade


eu pensava que à noite
o sol ia dormir
que o sol ia pra casa
que ia lá pra China
que o sol virava lua
que acabava a pilha
que punha capa preta
que a montanha engolia
que o sol também ficava
com saudade de mim.

Leo Cunha

21/07/2020

Esvoaçantes e sortidos


Sopra forte o vento Norte
E empurra a pipa pelo ar
Cuidado, papagaio colorido
Esse sol vai te queimar.

Dei linha no carretel
Lá longe abracei o céu
Pipinha, pipona...
No avião pega carona?

 Anjos e passarinhos
Subir, descer, afundar...
Distante da rede elétrica
Pipa ama voar!

Sem linha cortante
Sem cerol!
Assim, sim!
Fica legal!

Que delícia
Tudo é ilusão!

25/06/2020

Saudade junina


Festança animada?
Agora é tudo diferente
Pé de moleque, canjica, pipoca
Só se for...
 Na casa da gente!
(Sem aglomerações, por favorzinho!)

Lindo céu, sinto saudade
Da garoa tão mansinha
E o calorzinho amarelo da fogueira?
E o requebrar das bandeirinhas?

Crianças e tranças...
 E tão coloridas danças...
Quadrilha ouriça a meninada 
Buscapé, não pegue no pé...
 De gente miúda de bigode
 Pois ficar triste não pode!

Farei um pedido especial
A um balão iluminado
Que traga de volta meu sonho
Daquele mundo estrelado.

O Pássaro das Sombras

21/06/2020

Poeminha musical


Queria te ver bem de perto 
A ponto de entrar em seu coração 
Dançar reggae lá dentro 
Frevo, valsa
 Samba, baião.

O Pássaro das Sombras

08/06/2020

As lentes de contato do jabuti



Um dia o jabuti recebeu uma herança de sua tatataravó. Era uma grana para ninguém botar defeito e, com ela, dava para realizar qualquer desejo. O jabuti pensou em muitas coisas legais, a primeira delas: queria ter olhos cor de mel. Por isso decidiu comprar lentes de contato.

Então foi à loja da dona barata e adquiriu um par de olhos novos. Feliz da vida, esbanjando charme, sentindo-se um verdadeiro galã de novela, o jabuti voltou para casa rindo à toa. Ele almoçava de lentes, jantava de lentes, dormia e acordava de lentes. Não queria saber de outra coisa a não ser curtir a vida de olhos adocicados. De vez em quando, passava em frente ao espelho e dava uma espiadinha. Sem conseguir disfarçar a alegria pelo novo visual, tirava uma, duas, várias selfies e postava tudo nas redes sociais.

Contudo, numa manhã, ao acordar, decidiu retirar as lentes de contato para lavá-las e as deixou dentro de uma pequena vasilha, perto da pia. Foram apenas alguns minutinhos (porque o jabuti não desgrudava das lentes) e, quando voltou, cadê elas? As lentes de contato haviam DESAPARECIDO!
           
– Oh, que tragédia! Minhas lentes sumiram! Quem foi o criminoso cruel e desumano que teria feito isso? – desesperou-se.

O jabuti entrou em pânico. Gritava, esbravejava, chorava, xingava, pulava, rodopiava, suspirava, plantava bananeira, subia pelas paredes e praguejava. Tudo de uma vez só. Coitado, também não era para menos.

A vizinhança inteira acabou sabendo do caso, de tanto que o jabuti berrava. Lamentava que sua vida agora tinha perdido o sentido... Disse que queria morrer, cair num abismo, sumir, explodir, sei lá! Dramático, escandaloso ele...

Desesperado, o jabuti começou a investigar. Primeiro, procurou Rita, a ratazana. Depois, Tião, o tamanduá; Lu, a lesma, e Francisco, o mosquito. Ninguém sabia de nada. Os amigos voltaram ao local do crime e encontraram pegadas. Minha nossa! De quem seriam?

As marcas eram de pés bem pequenos. Daí foram atrás de Tereza, a única formiga a quem conheciam. Ela morava no Subterrâneo de Titãs, um formigueiro perto dali. Chegando lá, não encontraram a tal suspeita. A formiga tinha viajado em férias com a família. Seria ela a culpada? Por que uma viagem justamente naquele momento? De qualquer forma, não chegaram à conclusão alguma.

Procuraram também a Amarilda, a centopeia chatonilda; Lelé, o sapo com chulé; Janjão, o grilo garanhão; Zoínho, o curiango assanhadinho; Epaminondas Amado, o pato desafinado, e Sincero Ezequiel, o carrapato louco por pastel. Todos inocentes! Depois de 99 suspeitas fracassadas, o jabuti e os amigos desistiram e voltaram frustrados para casa.

Logo na entrada, já tiveram uma surpresinha!

– Oi, filhote – era a mãe do jabuti. – Aqui estão suas lentes de contato, meu amor. Eu as peguei emprestadas para dar uma voltinha. Elas me deixaram uma "gata"... #Amei!

– Ah, não é possível, jabuti!! – gritou a bicharada. Em seguida, saíram todos correndo atrás dele, indignadíssimos.

O jabuti, que não tinha culpa de nada, ainda transtornado com a situação, corria e gritava:

­– Ei, pessoal! Parem com isso! Me deixem explicar...

Mas os colegas não queriam conversa.

– Você nos fez andar quase o mundo inteiro por causa dessas benditas lentes de contato. Agora é você quem vai ficar de olhos roxos!

– Meu Deus! Socorro! Polícia, bombeiros, Ibama! O que isso? Violência, não! – implorava o bicho.

E dizem que até hoje o jabuti está fugindo. Outros garantem que não! Contam que, com o resto do dinheiro da herança, ele comprou uma passagem de avião, primeira classe, e sumiu pra Dubai, chiquérrimo, de lentes de contato, claro!

Pedro Antônio de Oliveira
(Autor do livro "Oreosvaldo, o Pássaro das Sombras" (Editora Lê)

Você sabe a diferença entre um jabuti, um cágado e uma tartaruga? Não!? 
Então clique aqui e fique por dentro!

06/06/2020

Asa aberta


Dizem que 
uma asa delta é que sabe viver.

O Pássaro das Sombras

Pés na areia


Gostaria de morar 
de frente pro mar.
E se a chuva caísse, 
o sol se abrisse, 
eu ficaria a olhar 
um pouco mais
pra fora de mim, 
esse lugar sem fim.

O Pássaro das Sombras

24/05/2020

Recadinhos respondidos #FiqueEmCasa



♥ Olá, seguilovers do Colégio Santa Dorotéia, de Belo Horizonte (MG)! ♥

Amei receber tantos comentários carinhosos no blog! Todos eles foram respondidos, OK? (Ham! Pelo menos, eu acho! - rsrsrs - Espero não ter me esquecido de algum!).

Além dos recadinhos no site, recebi diversas mensagens legais no e-mail. Foi maravilhoso!

Obrigado aos estudantes, às professoras, à coordenação pedagógica, à bibliotecária, à direção, a todos desse colégio lindo!

Ah! E preste atenção! Neste período de isolamento social, fique em casa, leia bastante, desenhe, pinte, veja bons filmes, ouça música, dance e escreva lindas histórias e belos poemas! Aproveite para revelar aquele talento incrível que às vezes você ainda não teve tempo de descobrir! Alimente-se bem, durma, beba água, higienize as mãos! Cuide-se! :)

Um abração bem forte do amigo...

Pássaro das Sombras

14/05/2020

Obrigado de novo, Santa Dorotéia! ♥

Oiê!

Estou muito feliz por receber aqui, no blog, uma montanha de comentários dos meus seguilovers do Colégio Santa Dorotéia, em Belo Horizonte! Fiquem tranquilos porque vou responder todo mundo com bastante atenção! Só esperem um pouquinho, pois são muitas, muitas mensagens! Estou amando! 💗

Acho que é a segunda vez que esse colégio lindo escolhe meu livro para a meninada ler e se divertir!

Muito obrigado pelo carinho!

Abraços apertados do poeta misterioso...

O Pássaro das Sombras

19/04/2020

Nada pode nos separar!


Agora que está todo mundo quietinho em casa, protegendo-se contra o novo coronavírus, o jeito é se encontrar assim, pela internet.

Na quarta-feira, dia 15 de abril, o Pedro Antônio de Oliveira, autor do livro "Oreosvaldo, o Pássaro das Sombras", teve um bate-papo virtual genial com os estudantes do quarto ano do Instituto Educacional Missão Paz, de Belo Horizonte (MG). Quem reuniu todo mundo foi a professora Renata Moura. O encontro contou também com a participação da professora Cristiane Miriam Oliveira. E foi incrível!

O projeto “Animação de Leitura”, promovido pelo colégio, colaborou para o desenvolvimento da imaginação, das emoções e dos sentimentos por meio do hábito de leitura, tudo de maneira prazerosa e significativa. Segundo os organizadores, o trabalho realizado com o livro procurou incentivar o respeito ao próximo, a valorização da amizade e a sempre retribuir um possível gesto de maldade com o bem, já que o personagem principal se comporta dessa forma diante das provocações do vilão da trama.

Na live, a galerinha fez perguntas, comentou os trechos da obra de que eles mais gostaram e ainda sugeriram, quem sabe, uma continuação da história num próximo livro do poeta misterioso.

Outro ponto importante destacado pelos educadores é que o livro do Pássaro das Sombras ajudou cada aluno a refletir um pouco mais sobre o amor próprio. Afinal, o Oreosvaldo não curtia muito seu visual nem seu nome, mas, com o tempo, ele descobre que é único e especial. A história sugere que precisamos nos amar exatamente como somos, evitando comparações. Pois, se possuímos defeitos, também temos virtudes e talentos que nos tornam seres humanos merecedores, sim, da felicidade.

Muito obrigado ao Instituto Educacional Missão Paz pelo carinho e pela generosidade. Parabéns aos professores, à coordenação pedagógica e à direção da escola pelo belo trabalho desenvolvido. Um viva aos estudantes que deram um show de interação, inteligência, educação e afeto! E continuemos nossa caminhada, espalhando o amor, a esperança e a paz!

O Pássaro das Sombras




08/04/2020

Agradecimento: Missão Paz


Olá, amiguinhas e amiguinhos do Instituto Educacional Missão Paz!

Estou muito feliz por receber os recadinhos de vocês! 
Eles já estão publicados lá na página "Deixe um recado!". 

Obrigado a todos(as)! 
Um agradecimento megaespecial à professora Renata Moura.

Um abração enorme e apertado do amigo...

Pássaro das Sombras!

14/03/2020

Invencíveis


Ser um herói...
será que dói?
Herói nem se machuca pra valer.
Não chora,
não perde,
não morre...
Só voa com capa e tudo, contente,
salvando os sonhos do coração da gente.

O Pássaro das Sombras

12/03/2020

A aranha, o grilo e o jacaré


Sabia que a gente nem precisa de muita coisa pra conseguir brincar e ser feliz?
Esse programa, o Castelo Rá-Tim-Bum, passou faz um tempão, mas é uma delícia de assistir! 
Quem aí se lembra?

#Adoro

O Pássaro das Sombras

02/03/2020

A foca


Quer ver a foca
Ficar feliz?
É pôr uma bola
No seu nariz.

Quer ver a foca
Bater palminha?
É dar a ela
Uma sardinha.

Quer ver a foca
Comprar uma briga?
É espetar ela
Na barriga!

Lá vai a foca
Toda arrumada
Dançar no circo
Pra garotada.

Lá vai a foca
Subindo a escada
Depois descendo
Desengonçada.

Quanto trabalha
A coitadinha
Pra garantir
Sua sardinha.

Alceu Valença
(Compositores: Vinicius de Moraes / Sergio Bardotti / Toquinho)

24/02/2020

Cérebro de minhoca


Vizinha das formigas, a minhoca é outra biruta! Rebolativa e apressada quando quer! Quando não quer, vira bicho subterrâneo. Parece que foge, parece que passeia pelo Mundo da Lua! Encolhe, estica, estica e encolhe! Pula e se enrosca, finge de morta e, no minuto seguinte, que nem espoleta, some depressa se encafifando na terra fofa. Bem que gosta de prosa, e nem se toca que atrapalha as formigas que sempre têm mais o que fazer do que ficarem tricotando, tagarelando num ti-ti-ti sem fim na porta do formigueiro.

Minhoca não é tão preguiçosa como dizem por aí as más línguas. Ela trabalha e muito: fura buracos e mais buracos. Será que cava túneis só para as formigas e outros bichos escaparem de congestionamentos? É quase igual ao mundo dos homens em que carro e metrô passam debaixo da terra. Bicho também! Como é boazinha a minhoca.

A família da minhoca cresce a olhos vistos. Teve um dia que, debaixo de uma pedra, estava lá um bolo de minhoquinhas, miudíssimas, agitadas, embaraçadas umas nas outras. Um ninho de minhocas! Bicho nojento, molhado, assustado, desconfiado. Pra começar, de que lado mesmo fica a cabeça dela? Rabo e cachola se parecem a mesma coisa.

E elas? Comem o quê? Terra? Como dá pra saber se a minhoca é minhoca ou se a minhoca é um “minhoco”? É tudo igual. Não vejo diferença, nem cabelo grande, nem uma listra mais charmosa, nem jeito de requebrar mais elegante... E tem outra: por que galinha gosta tanto assim de minhoca? Já a minhoca faz 200 quilômetros por hora quando bate os olhos na galinha! (Eu disse olhos? Minhoca tem olhos?) Até que podia brotar daí uma bela amizade... Vai entender cabeça de minhoca e de galinha! Ali não nascem cabelos nem neurônios!

Pro próprio destino cavar
Túnel com luz no fim
É preciso mergulhar de cabeça
E não vale usar enxadas
Mas, sim, ideias e sonhos-cambalhota
E não deixar nunca, preste atenção, eu disse nunca!...
Que a felicidade desista da gente.


O Pássaro das Sombras

04/02/2020

De sol a sol


Difícil tirar um cochilo depois do almoço com essa barulheira! Alguém acha fácil pregar os olhos estando perto delas? Vizinhas mais malucas, mais alucinadas por trabalho!

Juntas, as formigas parecem uma locomotiva desembestada cheia de vagões, em linha reta e linha torta. E, mesmo de bico fechado, não deixam de causar tumulto na mexida frenética de operárias dedicadas. Às vezes, preferem caminhar em ziguezague. De vez em quando, buscam outra direção. Para manterem a rota, escalam um galhinho, contornam uma pedra "gigante". Por vezes, partem em mil pedaços o silêncio. É que as formigas encontram no sentido oposto outras comadres trabalhadeiras. E aproveitam o momento para um cochicho, para uma troca de confidências. Segredo assim deixa logo de ser segredo, não acha? Afinal, o que uma fica sabendo sai logo multiplicando para o resto da fila.

Formiga é bicho curioso. Será que duvida das coisas? Acha formiga um inseto fofoqueiro? O encontro rapidinho, entre um passo e outro, pode bem ser somente um “Oi, que saudade de você! Tudo bem? E a família? Só crescendo, né!...”

Será que trocam dicas sobre o tempo? Formiga entende de meteorologia? Deve entender, ora! Porque, no frio, elas correm pra dentro e ficam só festejando sabe-se lá o quê e devorando o que carregaram, a duras penas, o verão todinho! Correm o risco de virarem umas formigas fofas, umas tanajuras de bumbuns gorduchos. Comer e dormir. Dormir e comer. Minha nossa!

Que vontade de conhecer uma casa de formiga só pra saber se dentro dela tem luz elétrica. Quando chove, não entra nem uma gotinha d’água? Aposto que entra. Vai ver todas têm curso de mergulho. Além de boas nadadoras, devem ter visão raio-x, raio-y e raio-z! Se não fosse assim, como poderiam enxergar no escuro? Já sei! Bem na hora do jantar, elas acendem velas ou usam uma lanterna a pilha.

E a formiga lava-pés? Tem muito nojo de chulé? Tão miúda e tão zangadinha! Meu desejo é dar no pé na hora em que aparece um montão delas doidas pra subir na gente. Dóóóói! As picadas deixam as pernas empoladas! E depois coooça... e coça... e...

Enquanto a gente pensa nisso tudo, formiga não brinca em serviço. Não descansa nem pisca! É com chuva, frio ou sol de rachar mamona! Ih, lá se foram, enfileiradas e apressadas, se enfiando no buraco e sumindo debaixo do chão!

Se o mistério andasse em fileira
Era fácil segui-lo até o fim
E descobrir que esconde verdades ou mentiras
Que a cabeça da gente inventa todo dia
Porque gosta de passatempo
Mas também seria triste ter de caminhar a vida toda em linha reta
Pois os dias vividos não são assim
Tudo é ziguezague, é morro, é plano também
É labirinto que abriga, em uma esquina-surpresa,
A felicidade que o coração deseja
Com ansiedade de menino.

O Pássaro das Sombras
.

01/02/2020

Calmos ponteiros


A vida pode ser boa 
Mas seria melhor ainda 
Se caminhasse lentinha, manhosa 
Se as casas tivessem alpendres de sol 
Se os quintais se abrissem em janelas pro resto do mundo 
E se o mar e os caracóis seguissem trilhas pra se perder 
E que sempre encontrassem, quando quisessem, os caminhos de volta.

O Pássaro das Sombras

27/01/2020

Rimando alegria


Já que as férias ainda não acabaram, que tal a gente brincar de fazer poesia?
Use sua imaginação!

O Pássaro das Sombras

23/01/2020

Notícia de pipa

Foto: Cemirim
“Clarabela, uma pipa da rabiola comprida, viveu momentos dramáticos na última sexta-feira. Ela ficou presa por duas horas em um cabo de alta tensão, perto de um poste, nas proximidades da rua do Sabão, no bairro Paraíso dos Ventos. Testemunhas contam que outras pipas tentaram socorrê-la, mas acabaram desistindo, porque ventava forte no local e elas também corriam o risco de ficarem agarradas ao fio.

Paulinho, de apenas dez anos, dono de Clarabela, tentou resgatá-la, usando uma pedra amarrada na linha. Foi logo impedido por populares de continuar o salvamento, pois se arriscava a levar um choque.

Desesperada, a pipa gritava por socorro. De vez em quando, dirigia a seu dono calorosos xingamentos. Segundo a vítima, Paulinho já havia sido advertido sobre o perigo de soltar pipas perto da rede elétrica, mas nunca ligou pra isso.

Após horas de desespero, um final feliz. O próprio vento desembaraçou Clarabela. A pipa foi levada ao hospital em estado de choque, onde se recupera do susto. De lá, seguiu para uma clínica de repouso, a fim de se livrar do trauma.

O drama de Clarabela não é um caso isolado. Nas férias, centenas de pipas em todo o país ficam presas em fios, árvores e antenas de tevê. Várias são forçadas a duelar com outras pipas e papagaios. E, por causa do perigoso cerol, suas linhas são facilmente cortadas; com isso, muitas permanecem para sempre perdidas, vagando pelo céu.

As autoridades já pensam em responsabilizar os garotos que continuarem pondo em perigo a vida das pipas.”

Pedro Antônio de Oliveira
(O Pedro é autor do livro "Oreosvaldo, o Pássaro das Sombras" (Editora Lê)


ATENÇÃO! DICA IMPORTANTE DO PÁSSARO DAS SOMBRAS:

Olá, pessoal! É tempo de férias e de se divertir, mas... soltar pipas perto da rede elétrica é o maior perigo. Além disso, muita gente por aí anda usando cerol, que é aquele vidro moído misturado à cola, para cortar a linha de outros papagaios de seda. Isso não é legal porque a linha cortante acaba ferindo gravemente crianças e adultos. A chamada "linha chilena", então, é terrível! Vários motoqueiros já morreram atingidos por essa linha! Pense em você e nas outras pessoas também! É possível brincar com segurança!

16/01/2020

Água preciosa


É tempo de chuva por aqui.
Há dias de sol também.
Vou pra piscina, vou pro mar.
Ou ficar bem quietinho em casa
a sonhar, a sonhar!...

O Pássaro das Sombras

O rato


O rato quer se casar. E agora?
Ah... eu adoro essas histórias de amor!

O Pássaro das Sombras

23/12/2019

O Natal da Turma da Mônica

Eu amo a Turma da Mônica!
E pra entrar no clima de Natal, que tal a gente assistir a uns filmes bem bacanas da Turminha mais amada do Brasil?

Feliz Natal pra todo mundo!

O Pássaro das Sombras







Lendas do Rio Amazonas


Olá, pessoal! Sabia que o Rio Amazonas é cercado por lendas e mistérios? Uma dessas histórias envolve a sua origem. Dizem que Tupã, uma espécie de mensageiro divino dos indígenas, queria criar o mundo e os homens, mas o Sol não permitia porque amava a Lua tão loucamente que tudo o que estava ao seu redor era queimado.

A solução de Tupã foi separá-los, deixando o Sol iluminar os dias e a Lua clarear as noites. A Lua, porém, não se conformou com a separação e chorou copiosamente sobre a Terra, formando um caudaloso rio com suas lágrimas. Daí, surgiu o Rio Amazonas.


Já uma outra lenda, um pouco semelhante, diz que, há muitos anos, moravam na selva amazônica dois noivos apaixonados. Ela se vestia de prata e seu nome era Lua. Ele se cobria de ouro e o seu nome era Sol. Lua era a dona da noite e Sol era o comandante do dia.

Mas havia só um probleminha: se os dois se casassem, o mundo acabaria. O ardente amor do Sol queimaria a Terra toda. O choro triste da Lua afogaria o planeta inteiro. Será que a Lua apagaria o fogo? E o Sol faria toda a água evaporar? Mesmo muito apaixonados, eles se separaram. Que dó! Os noivos ficaram arrasados de tão tristes.

No desespero da saudade, a Lua chorou durante todo um dia e uma noite. Descabelou-se toda! Suas lágrimas escorreram por morros sem fim até chegar ao mar. Mas o oceano, ranzinza, não queria aceitar tanta água. Chato! A Lua, então, não conseguiu misturar suas lágrimas às águas salgadas do mar.

E foi assim que algo estranho aconteceu: As águas formadas com as lágrimas da Lua escavaram um imenso vale, onde muitas serras se levantaram. Um imenso rio apareceu inundando vales, florestas e lugares sem fim. Eram as lágrimas da Lua que, de tanta tristeza, formaram o Rio Amazonas. Lindo isso, né?


O Pássaro das Sombras

14/12/2019

Sementes do amanhã


Ontem o menino que brincava me falou
Que hoje é semente do amanhã
Para não ter medo que esse tempo vai passar
Não se desespere não, nem pare de sonhar.

Nunca se entregue, nasça sempre com as manhãs
Deixe a luz do sol brilhar no céu do seu olhar.

Fé na vida, fé no homem, fé no que virá
Nós podemos tudo
Nós podemos mais
Vamos lá fazer o que será.

Erasmo Carlos

30/11/2019

Dica do Clubinho da História - O Pássaro das Sombras


Olha só o que eu descobri! Uma dica bem legal do livro "Oreosvaldo, o Pássaro das Sombras", da Editora Lê, no canal Clubinho da História, da Cristina Cançado, pedagoga e também fundadora do portal Mães que educam.

Que fofo, né? Fiquei com vontade de ler esse livro (rsrsrs).

Obrigado, Cris!!! ♥

O Pássaro das Sombras

15/11/2019

Para uma querida leitora

Oi, pessoal! Aqui é o Pássaro das Sombras!

Ando meio sumidão, né!? Mas eu sempre volto! Tenho estudado muito para as provas de fim de ano. As professoras da Escola da Floresta não são brincadeira (rsrsrs). Mas assim é que é bom! Quero passar de ano com notas ótimas! Torçam aí por mim!

No dia 9 de novembro, eu recebi uma mensagem da Geovana, minha leitora e seguidora. Ela mora na cidade de Mário Campos, em Minas Gerais! Um beijão pra todo mundo dessa cidade liiiinda!!! ♥

A Geovana escreveu assim:

"Olá, Pássaro das Sombras, eu ameei seu livro. Sou de Mário Campos e peguei seu livro emprestado na escola. Eu procuro um poema para mãe. Você pode me ajudar?? 
(Eu amooo seu livro!)".

Ei, Geovana! Mil desculpas pela demora em responder! Muito obrigado por ter lido meu livro. Fiquei superfeliz ao saber que você o "amooou". E como retribuição ao seu carinho, botei, logo abaixo, um poema escrito em 1996, pelo Pedro Antônio de Oliveira, que é o autor do meu livro: "Oreosvaldo, o Pássaro das Sombras" (Editora Lê). Na época, o poema foi publicado no jornal "Estado de Minas", um sábado antes do Dia das Mães. O Pedro ainda era um adolescente, mas já adorava escrever! É um poema lindo, feito com muito carinho para todas as mamães do mundo! Espero que goste!

Um beijão meu e do Pedro para você! Escreva sempre! Fique com Deus, Geovana!






















A MULHER MAIS LINDA DO MUNDO

Mãe é uma mulher
Em princípio comum
Séria ou brincalhona
Que encanta qualquer um.

É como o diamante
É feita de puro amor
É a brisa da tarde
É o perfume de uma flor.

Parece que ela é mágica
E nem tem bola de cristal
Tudo o que fala acontece
É algo incrível
Fenomenal.

Pode se chamar Joana, Marta, Ilza ou Maria
De toda forma é estrela
Brilha de noite, brilha de dia.

É como a água para a boca sedenta
Carrega, às vezes, sua cruz
É o ar que a gente respira
É a luz que nos conduz.

É a palavra que nos conforta nos dias difíceis
Tem asas fortes que nos protegem do perigo
É o sorriso com a nossa vitória
É o nosso refúgio, nosso abrigo.

É soberana,
É deusa, é nobre
Mãe jovem, mãe vivida
Mãe rica ou mãe pobre.

Pode estar na terra
Pode já morar no céu
É presença sempre viva
Transparente feito um véu.

É maravilhosa de qualquer jeito
É poema, amor profundo
É abençoada por Deus
É a mulher mais linda do mundo. 


(Pedro Antônio de Oliveira - Jornal Estado de Minas | 11/5/1996)

13/08/2019

Vamos deixar essa gente vivinha dentro da gente ♥

 Veja que filminho lindo!

Dentro da gente, mora um passarinho que adora voar e abraçar o mundo.
Dentro da gente, mora uma estrelinha que adora brilhar pra não deixar as noites muito escuras.
Dentro da gente, mora um palhaço que adora contar piadas, rir e divertir multidões.
Dentro da gente, mora uma bailarina que adora dançar e caminhar levinha na ponta dos pés.
Dentro da gente, mora um pintor que adora desenhar e espalhar cores pra todo lado.
Dentro da gente, mora um cantor que adora música pra quebrar os silêncios.
Dentro da gente, mora um tanto de gente que adora ser feliz, mas...
será que a gente deixa essa gente toda viver em paz?

O Pássaro das Sombras

"Se a um ser humano dizemos que a única coisa que importa de tudo o que está fazendo agora é preparar-se para continuar vivendo, estamos falando a um escravo, e não a um ser humano”.  
(Silvia Bleichmar, psicóloga argentina)


03/07/2019

Medo todo mundo tem!


Este pequeno filme, chamado curta-metragem, mostra Piper, um passarinho que morre de medo de caçar sua própria comida na praia. Mas, de repente, quando a barriga começa a roncar pra valer, ele decide enfrentar com coragem esse grande desafio em busca da sobrevivência. 

Faça como Piper! Lute com energia e alegria para a vida ficar mais linda e divertida!

Espero que tenha gostado da dica! Até mais!

O Pássaro das Sombras

16/06/2019

Receita de espantar tristeza


Faça uma careta
e mande a tristeza
pra longe, pro outro lado
do mar ou da lua.

Vá para o meio da rua
e plante bananeira,
faça alguma besteira.

Depois estique os braços,
apanhe a primeira estrela
e procure o melhor amigo
para um longo e apertado abraço.

Roseana Murray

ABZ do Ziraldo


Eu sempre adorei o Ziraldo, o Menino Maluquinho e todas as suas criações. 
E este programa, então, é uma delícia, né, gente!?

O Pássaro das Sombras

03/06/2019

De volta ao Colégio Franciscano Sagrada Família

Fotos: Paula Fabrícia
A turminha do Colégio Franciscano Sagrada Família, da Rede Clarissas Franciscanas, viveu uma tarde muito animada com o Pedro, autor do livro "Oreosvaldo, o Pássaro das Sombras", da Editora Lê. Tudo aconteceu no dia 29 de maio na biblioteca da escola. É a segunda vez que o Pedro vai ao colégio em menos de um ano para um encontro bacana feito esse! Foi uma explosão de alegria e amizade!

Os estudantes conversaram sobre as aventuras do blogueiro poeta mais famoso da internet (Ham! Euzinho, tá!?), fizeram perguntas sobre a produção da obra e participaram de uma sessão de autógrafos. Todo o espaço foi decorado com lindas ilustrações preparadas pelos alunos! Quanto talento! Um dos estudantes do 4º ano, o pequeno Henrique Galantini, fez questão de presentear o Pedro com um belo desenho do Oreosvaldo! Nem preciso dizer que ele adorou, né!

A garotada ganhou marcadores de páginas e um passatempo superlegal com as personagens do livro, incluindo labirinto, caça-palavras, carta enigmática e poeminhas inéditos do artista misterioso.

Muito obrigado a todos do colégio pelo carinho e atenção! Um agradecimento especial às professoras Talita e Gisely, além das queridas Lindaura e Arlete, da biblioteca.

Alto astral e ótimas vibrações marcaram o encontro literário no Colégio Franciscano Sagrada Família

O Pássaro das Sombras

25/05/2019

Mundo que rima


No Planeta Poesia,
quando um fala "Bom dia",
o outro diz "Como vai sua tia".
Todo mundo é poeta,
do mais sábio
ao mais pateta.

Ricardo Silvestrin

30/04/2019

Por que os cachorros fazem assim?

Foto: Dirk Vorderstraße/Divulgação
Você dá aquele banho gostoso no seu cãozinho com xampu e tudo. Ele fica todo cheirosinho. Mas aí, quando você pisca os olhos, o danadinho está deitando e rolando na terra. Isso quando o maluco não cisma de se jogar em algo pior, digo, fedorento. Argh! Pois é! Sabe por que ele faz isso? Acha que é só para te irritar? Ou será felicidade por estar limpinho? Nada disso!

Quer saber o que acontece? Clique aqui.

Leia também:

Dez gestos que os cães fazem para 'falar' com você; entenda o que eles querem dizer



O Pássaro das Sombras

13/04/2019

Forças Armadas de Alegria


Eu sou o comandante do bom humor
O meu esquadrão, eu vou
Cantando, sorrindo, pelo caminho, eu vou.

Sou o brigadeiro do alto astral
Um guerreiro espacial
Eu sou da folia, uma arrelia sou.

Vem, que tem... munição
Mas nem vem, tristeza não passa, não! 

Sou do exército da paz
Força armada de alegria
Preparar batalhão 
Solta um sorriso... supercanhão! 

Sou um almirante, eu vou pro mar
Minha onda é navegar
Seguindo as estrelas, sei que eu vou chegar.

Vem, estamos prontos pra invasão
Nada pode nos deter
O mundo é nosso, nós temos o poder.

Vem, que tem... munição
Mas nem vem, tristeza não passa, não!

Sou do exército da paz
Força armada de alegria
Preparar batalhão
Solta um sorriso... supercanhão!

A Turma do Balão Mágico

28/03/2019

Mensagens do Colégio Equipe de Tocantins (MG)


Oi, pessoal!

Estou superfeliz por receber tantos recadinhos carinhosos dos estudantes do Colégio Equipe de Tocantins, Minas Gerais!

Eles estão lendo o livro "Oreosvaldo, o Pássaro das Sombras" (Editora Lê). Que emoção!

Todas as mensagens foram respondidas. Basta acessar os painéis para conferir. No final da página de recados, clique em "Carregar mais", para ver todos os recadinhos.

Muito obrigado por tudo! Vocês são D+!!! 

Um beijão pra todo mundo, inclusive para os(as) educadores(as) que estão realizando o projeto de leitura com os amiguinhos!

O Pássaro das Sombras

22/03/2019

Apolo


Quando monto em meu cavalo
Voo para a liberdade
Tudo é leve, tudo é lindo
 Feito um sonho de verdade.

Quantas vezes passeamos
Por caminhos tão bonitos
Pelos campos, pelas nuvens
Pelo céu, pelo infinito.

O meu cavalo branco tem o branco da paz
Vai descobrir um mundo onde somos iguais
Se existe esse mundo, guarda ele pra nós
Me mostra esse caminho num galope veloz.

Apolo, viaja para a liberdade
Apolo, me leva pra felicidade
Apolo, viaja para a liberdade
Apolo, me leva pra felicidade.

Quando monto em meu cavalo
Me transformo num segundo
Tenho a força da criança
Pra tentar mudar o mundo.

Juntos pela esperança
Venceremos a corrida
Com o amor ninguém se cansa
De acreditar na vida.

Michael Sullivan e Paulo Massadas

23/02/2019

Lenda ou verdade?


Sabia que a floresta é um lugar repleto de mistérios? E por aqui, meus amigos e eu adoramos ficar até tarde conversando sobre assuntos fantásticos.

Por exemplo, dizem que, lá no meio da mata fechada, existe um passagem secreta para um outro mundo. E que lá dentro, vivem seres incríveis, gigantes, que se alimentam de frutas enormes. No passado, uma tribo indígena teve a chance de visitar essa cidade que fica no interior da Terra.

Esses índios, os Macuxis, contam que por lá existem lugares muito perigosos com rios escaldantes e até espécies de sóis para os quais não se consegue olhar diretamente por causa da claridade. Minha nossa!

Os indígenas eram os protetores das entradas do mundo secreto, até que alguns povos daqui de cima começaram a explorar a floresta à procura de ouro e diamantes. Por não terem conseguido guardar os portais que levam para as cavernas do centro da Terra, os índios foram punidos. E nunca mais puderam ter contato com a civilização que mora bem debaixo dos nossos pés. Será? Você acredita?

Bem... se é verdade ou não, certa vez um escritor francês, o Júlio Verne, escreveu um livro chamado "Viagem ao centro da Terra". Pois é. Emocionante ficar imaginando tudo isso, não acha? #EuAmo


O Pássaro das Sombras

17/02/2019

Corte radical (rsrsrs)

Foto: Canal do Pet
Argh! Mamãe tem mania de me levar pra cortar cabelo naquele salão que fica a dois quarteirões de casa. Por lá, parece que tudo ficou parado no tempo, a começar pelo cabeleireiro. A gente pede um corte, “não sei”; pede outro, ele pergunta: “como é que é esse?”. Ah... haja paciência! E ainda guarda umas revistas pré-históricas com alguns modelos de penteado que nem minha tatataravó deve conhecer! Por que ele não joga aquilo fora? Não presta pra nada! 

Quando deixo o salão, minha cara queima de vergonha! Sabe a sensação de que está todo mundo olhando pra você? Pois é. É assim mesmo que eu me sinto, morto de vontade de enterrar minha cabeça no chão, igual a avestruz, e ficar esperando meu cabelo crescer de novo.

E as perguntas do povo? “Cortou o cabelo?” “Sua cabeça cresceu ou foi o cabelo que encolheu?” “Tirou a peruca pra lavar?” Piadinhas bobas, credo! É porque todos devem ficar observando o estrago que aquele homem faz na cabeça da gente.

Tudo bem que ele é bonzinho. Todas as vezes, saio de lá com um pirulito na mão – mesmo já tendo passado da idade de ganhar pirulito... Ele tenta agradar, mas aqueles óculos já estão precisando ser trocados.

E o dia que ele acertou em cheio minha orelha com a tesoura!? Quase arrancou um pedação! Dei um pulo tão alto na cadeira que as próximas vítimas que esperavam no salão para ser atendidas pensaram que eu ia decolar, que eu tinha virado foguete...

Há muito tempo eu queria o corte surfista. Ele fez. Fiquei parecendo um monstro marinho, a cabeça em forma de cuia! Mamãe achou lindo. Ou estava me gozando? Até arriscou um vocabulário inovador, tentando parecer moderninha: “Desta vez, você escolheu um corte radical, meu amor!” E o pior é que o cabeleireiro, orgulhoso, acreditou!

Pedro Antônio de Oliveira

14/02/2019

Começar tudo, tudo de novo!


O primeiro dia de aula foi muito especial. Eu adoro férias, mas confesso que já estava com saudade dos meus amigos. Isso sem falar que é uma delícia usar os materiais escolares novinhos: caderno, borracha, lapiseira, canetinha, mochila, cola colorida...

No inicinho todo mundo pode ir sem o uniforme. A gente fica um tempão só contando como foram os dias de descanso. Alguns viajaram para a casa da avó, outros foram para a praia... Eu fiquei na floresta mesmo, mas me diverti muito também. Li diversos livros, fiz passatempos, assisti a umas séries incríveis e brinquei no campinho com a turma até tarde.

E uma coisa que eu amo nas férias é não ter hora pra nada. Pensa que fico de olho no relógio? Nem ver! Não ligar pro tempo é uma boa forma de relaxar e recompor as energias.

As professoras deste ano parecem ser superlegais. Eu gostei. Dá só um friozinho na barriga imaginar todas aquelas matérias difíceis, as provas, os trabalhos... Ah, quer saber? Basta ficar esperto e não deixar acumular as obrigações que tudo termina bem.

Há três colegas na classe que vieram de outro colégio. Eles ainda estão meio tímidos. Hum! Tenho certeza de que logo, logo eles estarão soltinhos, entrosados com o resto do pessoal. Se depender da Norbélia, então!... Ela passou o recreio inteiro tagarelando com eles, ofereceu até parte do seu lanche para os novatos! Sei não! Este ano promete!

Em breve, volto pra contar mais novidades!

O Pássaro das Sombras

18/01/2019

Ideias refrescantes



Férias!!! E a turma do Quintal da Cultura decidiu fazer uma viagem. Adivinha pra onde? Vou dar uma dica: é um lugar romântico e bem pertinho... #SQN

Mas, para isso, eles precisam de grana, né!? Chiii... E agora? Eles vão ter que se virar. Lunáticos como eles são, será que vão conseguir? (rsrsrs) 😝

KKKK! Adoro esses malucos!

O Pássaro das Sombras

02/01/2019

Tô de bobeira!


Sabe que tenho um pouquinho de medo de água? Só molhar os pés pra mim já está bom. Já é mais que diversão. Mas imagine só dar aquele mergulho e nadar com os peixes lá no fundão! Deve ser o máximo! Um dia ainda vou ter coragem!

Comer comidas estranhas pra mim também é um risco grande demais! Por isso prefiro o trivial. Nada de dor de barriga em pleno verão! Quero que tudo dê certo. Meu filtro solar de hora em hora, muitas frutas, sucos e sorvete, que eu a-do-ro! Minha mãe é descolada, muito mais do que eu, e vive me dizendo pra eu largar logo essa preocupação danada e só pensar mesmo em ser feliz!

Tanta coisa boa... que minha vontade era que essas férias durassem para sempreee!

O Pássaro das Sombras

31/12/2018

É a baleiaaaaaaa!


Os habitantes do fundo do mar nunca maltratam a terra, 
a gente precisa aprender com eles lá 
viver num mundo sem guerra.

Cláudio Fraga

Quer ver mais vídeos lindos como este? Acesse O Tubarão Martelo.

20/12/2018

O dia em que encontrei o verdadeiro senhor Noel


Queria tanto que fosse ele. É claro que não sou bobo nem nada de ficar acreditando naqueles impostores que invadem a cidade em dezembro: barriga de mentira, barba de mentira, gargalhada de mentira... Tudo de mentira! O verdadeiro não ficaria por aí, dando sopa. Só deve deixar o Polo Norte na noite de Natal, e olhe lá!

Que aquele era especial, isso era! Veio ao meu encontro, andando bem devagar. Surgiu de um modo misterioso, que nem faria o genuíno senhor Noel. Me olhou com a intimidade de quem me conhecia há milênios. E se inclinou com dificuldade para falar baixinho ao meu ouvido: “Oi, como vai?” Levei um susto, mas um susto!... Depois perguntou (do jeitinho que o original perguntaria): “Quer ganhar o quê, neste Natal?”.

Uaaauuu!... Me arrepiei todo. Só podia ser ele! O autêntico! O próprio! O real! Foi direto ao assunto. Não ficou rodeando, me oferecendo balas e sorrisos, muito menos olhou pros meus pais primeiro, querendo agradar ou fingir cara boa. Dava a entender que estava com pressa, só precisava saber mesmo o que eu estava a fim de ganhar no Natal.

Na hora fiquei um pouco com vergonha de dizer ali, no meio do shopping, uma coisa assim tão íntima, tão confidencial... Ora, o presente que a gente quer ganhar só se fala pra mãe, pro pai e pro Papai Noel de verdade!

E se não fosse ele? Achei melhor não arriscar! Só que acabei contando tudo, sem ter certeza absoluta de sua identidade: “Uma bola de futebol e um disco do Balão Mágico”. Que raiva! Minha cara queimou! E se eu estivesse diante de mais um dos milhares de falsos Noéis que vivem abusando da confiança das pobres criancinhas iludidas?

Mas um detalhe me chamou a atenção! As luvas dele estavam muito sujas! O verdadeiro Papai Noel jamais calçaria luvas tão encardidas (a menos que tivesse trocado os pneus do trenó ou temesse uma crise hídrica)! Decepção! “Ainda não foi dessa vez”, pensei. Será que, um dia, teria a sorte de estar diante do legítimo?

Ele foi embora, depois de plantar uma pulga enorme e cabeluda atrás de minha orelha esquerda. Aquele Papai Noel duvidoso tinha tudo pra ser um Papai Noel cem por cento verdadeiro. Mas e as luvas? Alguém me explica se o Bom Velhinho pode mesmo ter luvas tão imundas como aquelas? No Polo Norte, por acaso faltam água e sabão?

Algumas suposições sobre as luvas sujas do Noel:

1 – Só o Papai Noel original cumprimentaria todos os meninos e todas as meninas do planeta. De tanto pegar nas mãos das crianças, ele ficou com as luvas emporcalhadas;

2 – Talvez, se ele estivesse de luvas limpas, branquinhas, seria facilmente reconhecido pela meninada e não conseguiria andar livremente pelo shopping. Porque aí, sim, a molecada iria ter certeza de quem ele era. Ia aparecer gente demais pedindo autógrafo, foto e presente;

3 – O Papai Noel ainda não conhece aquele famoso ditado: “Uma mão lava a outra”;

4 – Nenhuma das alternativas acima;

5 – Todas as alternativas acima;

6 – Vou pensar mais um pouco (porque agora me deu um nó na cabeça!). Ho-ho-ho-ho!

Pedro Antônio de Oliveira